NOTÍCIAS


Inoculantes podem aumentar a produtividade do milho em 20%

Atualmente, no Brasil, 77% do milho cultivado é plantado na segunda safra ou safrinha. E dados levantados pela Tradecorp do Brasil mostram que, com o uso de inoculantes, é possível obter um incremento na produtividade do milho de até 20%. De acordo com o coordenador técnico da Tradecorp, Fernando Bonafé, no Brasil o plantio do milho safrinha ocorre entre os meses de janeiro a março. “Os produtores realizam o processo normalmente em sucessão a colheita da soja. Neste ano em especial, o plantio está atrasado em algumas regiões onde o excesso de chuvas prejudicou o processo de colheita”, diz.

Conforme afirma o coordenador, a elevação do potencial produtivo das culturas depende de alguns fatores bióticos e abióticos de produção, como o equilíbrio químico, físico e biológico do solo, o manejo fitossanitário e de nutrição, e o material genético utilizado. “Na escolha do melhor híbrido é importante levar em consideração a resistência a doenças e pragas, o ciclo de cultivo e a recomendação para a região, além do potencial produtivo”. Em geral, as sementes de milho já são tratadas industrialmente com os fungicidas e inseticidas.

No manejo das sementes na fazenda ou na aplicação de produtos via sulco de plantio é preciso realizar os tratamentos com os fertilizantes a base de micronutrientes como Molibdênio e Zinco, bioestimulantes com extrato de algas e aminoácidos, e os Inoculantes com Azospirillum e Pseudomonas recomendados para cultura. “O tratamento de sementes possibilita um melhor arranque da cultura, com mais vigor, resistência e nutrição equilibrada, o que é muito importante principalmente na safrinha, quando podemos ter restrição de luz e água”.

Segundo Bonafé, estudos da Embrapa mostram a possibilidade de redução da adubação nitrogenada de cobertura em até 25% com a utilização da inoculação com Azospirillum mantendo a produtividade da lavoura. “Observamos estas melhoras com a utilização dos produtos específicos”, afirma. “Nossa recomendação é utilizar os inoculantes e manter o manejo de nutrição padrão, com o objetivo de promover o crescimento e o aumento de produtividade”, completa.

A inoculação do milho com bactérias do gênero Azospirillum, potencializa o uso dos fertilizantes, uma vez que são consideradas bactérias associativas. “Com o estímulo ao crescimento do sistema radicular das plantas é possível obter um resultado no incremento do volume de raízes acessando maior área do solo e, com isso, melhor acesso a água e nutrientes. Isso ocorre porque essas bactérias atuam principalmente como promotoras do crescimento vegetal por meio da produção de fitormônios, que estimulam o crescimento e desenvolvimento vegetal”. O especialista destaca ainda que o monitoramento das lavouras deve ser semanal, principalmente em relação a pragas e doenças. “Para isso é recomendada a realização da análise foliar e utilização do CheckFolha, aplicativo que realiza a análise, interpretação e recomendação de correção via adubação foliar”.

Com Agrolink




04/04/2023 – Rádio Cristalina

SEGUE A @RADIOCRISTALINA

(45) 3253-2559

radiocristalina@live.com
Nova Santa Rosa – PR

NO AR:
ROMPENDO EM FÉ