Notícias » Doação/Ajuda

 

Últimas notícias

  • PM de Palotina cumpre mandado de prisão em Francisco Alves, contra acusado de roubos

    Continuar lendo
  • Residência é furtada a luz do dia em Marechal Cândido Rondon

    Continuar lendo
  • Termômetros registram temperaturas mais agradáveis no Paraná

    Continuar lendo
  • Camionete de Palotina é roubada por três elementos armados

    Continuar lendo
  • Reunião de caminhoneiros e governo termina sem acordo; greve continua

    Continuar lendo
  • Toledo: Família procura Adriano Marques Pego

    Continuar lendo
  • Após cinco altas, Petrobrás reduz preço do diesel e da gasolina; Governo debate aumentos

    Continuar lendo
  • Greve dos caminhoneiros: PRF divulga primeiro balanço do dia

    Continuar lendo
  • Três veículos furtados em Toledo são apreendidos em Cascavel

    Continuar lendo
  • Rondonense é atropelado na PR 491

    Continuar lendo

Morre Negão, cachorro que vivia há mais de 2 anos em frente a hospital após morte do dono em SC

Quarta-feira, 16 de Maio de 2018 às 9:00

Após mais de dois anos esperando pelo dono no pátio do Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, o cachorro Negão morreu na manhã desta terça-feira (15), após ter sido atropelado. O animal se enroscou na roda traseira de um carro e não resistiu aos ferimentos.

No final de 2015, o cachorro chegou ao hospital seguindo a ambulância que levava o dono dele, um morador de rua, que morreu horas depois.

Na manhã desta terça, o marido de uma funcionária a deixou na unidade hospitalar e não viu que Negão tomava sol no pátio, no espaço de passagem dos carros. Quando o veículo passou, o cão correu atrás e enroscou na roda traseira.

O cachorro ficou ferido no pescoço, ainda caminhou até a calçada chorando, mas não resistiu.

Casinha, água e comida
Logo depois da morte do morador de rua, os funcionários do hospital colocaram uma casinha para Negão na frente da unidade. Mas, como a história do cachorro ficou conhecida na cidade e muita gente apareceu para dar comida a ele, a casinha precisou ser colocada nos fundos do hospital.

Os funcionários trocavam a água dele todo dia e a ração era doada por uma ONG (Organização Não-Governamental). Conforme Ivone Traversin, coordenadora de atendimento ao público do hospital, a equipe de jardinagem que passava mais tempo com o cão estava muito abalada na manhã desta terça por causa da morte.

Negão foi enterrado no pátio do hospital a pedido dos funcionários que cuidavam dele. “Ele nunca viu o dono sair do hospital, por isso ficou esperando por ele durante todo esse tempo”, disse Ivone.

À espera do dono
Os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegaram a fazer vídeos do cão em disparada atrás do veículo. O cachorro corria para a porta do pronto-socorro toda vez que escutava uma ambulância se aproximar.

Rádio Cristalina/G1 Santa Catarina

© RADIO CRISTALINA FM 103,7
BRLOGIC